Members

Adroaldo Anunciação é formado em Comunicação Social pela Universidade Federal da Bahia, com passagens por vários veículos de comunicação, exercendo as funções de editor-coordenador, editor e repórter e chefiando assessorias de comunicação, além de editar jornais para empresas e associações.

 Foi repórter estagiário (noticiarista) da Rádio Cruzeiro da Bahia e de A Tarde no início dos anos 80,  onde como profissional exerceu as funções de revisor, repórter das editorias de Política, Cidade e Esportes. De 1986 a 2007, foi, na sequência,  redator, subeditor e editor. Em 2007 assumiu o cargo de editor-coordenador de Esportes.  Chefiou ainda as assessorias de Imprensa da Secretaria de Educação do Estado da Bahia, Instituto de Previdência do Salvador (trabalho que levou ao “case” premiado com o Top de Marketing), Prodasal, além de integrar a assessoria do Tribunal de Justiça da Bahia. Como atleta, praticou karatê (orientado por alguns dos maiores nomes e precursores do esporte no Brasil, como Ivo Rangel, Denilson Caribé de Castro, Luís Watanabe, Machida, Sasike e Tanaka) e fisiculturismo durante 13 anos, sendo responsável por muitos anos pela coluna sobre a arte marcial em A Tarde. Participou do trabalho de cobertura das Copas de 1994 (EUA), 98 (França), 2002 (Ásia) e 2006 (Alemanha).

 

 

Jean Vivas é graduado em Comunicação Social – Publicidade e Propaganda pela UCSAL, com experiência profissional em emissora de rádio e mídias sociais, sendo responsável por planejamento, pesquisa, marketing, tradução de textos, legendas e produção de conteúdos online, além de desenvolvimento de aplicativos para dispositivos móveis em ambiente Android. Pós-graduado no idioma inglês e administrador deste blog, sempre abordando diversos temas e aspectos da lingua úteis ao dia a dia.

 

 

Loraíne Vivas é pós-graduada em Linguagens e Mídias Audiovisuais. Colaboradora do English Connection e autora do livro “Passando o Som: A Independência da Música em Salvador” que traz uma breve retrospectiva do cenário musical de Salvador entre 1990 a 2011, colocando as bandas independentes como protagonistas da narrativa. A obra também debate conceitos como “alternativo” e “independente”, além de fazer uma descrição do mercado paralelo e do papel autogestor dos artistas envolvidos.

 

 

Leo Porko é fã de cinema, esporte, lazer, vídeos da internet e música. Estudante de espanhol e graduado em Comunicação Social – Publicidade e Propaganda pela UCSAL.